PROMOÇÃO CURTA A COPA - CLIQUE AQUI E SAIBA MAIS
  Opinião - Economia

Harri Gervásio: Chegando 2018

Por farrapo.rs
26/12/2017 09:06
 

O 2017 já era, agora é pensar em 2018. Será melhor do que este que esta findando? E se for pior? As eleições influirão na economia? Apesar dos números favoráveis de 2017 ainda paira duvidas sobre o comportamento deste que se aproxima. Na hora da indefinição o melhor é se preparar para o que pode acontecer. Como? Planejando! Em qualquer situação um plano, por menor que seja, é muito importante, pois define rumos a serem seguidos. Imagine um avião sem plano de voo ou um navio sem timão. É difícil? Sim, mas com um mínimo de esforço todos podem ter organização, pensando antes, colocando no papel e estar mais preparado para o imprevisto. Tentando ajudar propomos um exercício simples e dividindo as ações em três cenários: provável, pessimista e otimista.


Cenario 1 –
Neste primeiro cenário você deve partir da premissa de que o ano de 2018 será igual ao que esta findando. Anote o que aconteceu se possível mês a mês, tanto no lado da despesa como da receita. O que foi comprado de extras e aquela receita extraordinária que chegou. Se isto for feito significa um fluxo de caixa que pode ser seguido e perseguido. Se o ano foi bom aposte naquilo que já é conhecido, momentos e situações que já foram vividas. O 2018 será igual ao 2017!

 

Cenário 2 – Aqui o cenário é negativo, ou seja, tudo vai ser pior. Diminua as suas receitas, corte as extras, e projete despesas improváveis que podem surgir. Neste quadro veja as alternativas possíveis para resolver os problemas que poderão acontecer. O que pode ser cortado? Como posso conseguir aumentar as minhas receitas? O 2017 foi difícil, mas como navegar num mar mais revolto ainda? Solicite ajuda  antes da bola de neve se tornar um monstro incontrolável. Programe-se para uma situação de guerra, onde todas as armas podem ser utilizadas. 


Cenário 3 –
Neste item veja um cenário positivo onde tudo vai ser melhor. O sufoco já passou e agora é a chegada de ventos favoráveis. A crise econômica e politica ficaram para trás e tudo esta melhorando. No lado da receita é possível prever um melhor desempenho e com mais recursos disponíveis é viavel programar outros gastos e investimentos.  Sabe aqueles sonhos postergados, é hora de inseri-los neste cenário 3. Aqui é muito importante reservar parte da receita, que esta superando a despesas correntes para um eventual tropeço. Guarde, poupe, pois nada é para sempre. 

 

Arme-se para a luta!

Este exercício permite que antes do acontecer sejam traçadas estratégias para o enfrentamento do dia a dia. Tenha a certeza que a melhor maneira de enfrentar o incerto é pensar e agir antes e principalmente  acompanhar aquilo que for acontecendo alterando os rumos de acordo com as tendências. Tudo leva a crer que o próximo ano será melhor do que este que está findando, mas na duvidas é melhor estar preparado. Falar sobre o futuro é extremamente difícil, mas vence aquele que tem mais opções de escolha.

Planeje, programe-se, pense antes e tenha mais chances de sucesso! Você pode e deve ter controle das suas finanças. Mas, é bom ter sempre a mão aquele remedinho para dor de cabeça!  



Zona de conforto

A luta para conseguir um emprego ou até mesmo se manter na vaga esta cada vez mais difícil e disputada. É exatamente nesta hora que surge a indagação: será que estou fazendo o suficiente. Hoje fazer tudo certinho, cumprir hora e determinações da chefia é muito pouco. Para se destacar no mercado de trabalho é necessário fazer aquele algo mais que esta escondido e poucos descobrem. Este plus com certeza vai impulsionar a sua carreira ou possibilitar arranjar aquele emprego. É insuficiente fazer apenas aquilo que esperam de você! Para crescer coloque uma boa dose de entusiasmo, curiosidade e interesse, buscando resultados que façam a diferença. Trabalhar por trabalhar, cumprindo todas as funções designadas é muito pouco. Saia da zona de conforto e atinja o sucesso. 




Mudando

É incrível como o setor politico está desacreditado. Uma das ações impetradas ultimamente é a retirada da palavra PARTIDO das siglas. Surgem os mais estranhos nomes que resguardam ideologias que desaparecem atrás de uma verdadeira cortina que busca mais a identificação da pessoa do que a agremiação. E aí apareceu a Rede, Avante, Podemos, Patriotas, etc. Acham que estão repaginando a politica. Eles esperam que o eleitor esqueça os desmandos do poder praticados em nome do partido. É brabo ter que mudar de mascara!

Pense

Não importa a cor do céu. Quem faz o dia lindo é você.


Dados de 23/12/2017

Salário Mínimo
Salário Mínimo Nacional = R$ 937,00 -  R$ 31,23 p/ dia e R$ 4,25 p/ hora.
Salario Mínimo Regional = R$ 1.175,15/ 1.202,20/1.249,47/1.278,03/1.489,24

Construção Civil – novembro de 2017. 
CUB/RS – Sinduscon/RS 
      Residência Unifamiliar (normal) – R$ 1.748,88 m2. / variação 12 meses =  4,57%
      Residência Multifamiliar (normal) – R$ 1.440,62 m2. / variação 12 meses = 4,95%
Custo Nacional da Construção Civil –  Sinapi – IBGE
      Brasil =   R$  1.144,79 m2  /  variação  12 meses =  4,26%%
      Rio Grande do Sul = R$  1.131,10 m2  /  variação 12 meses =  3.44 %
Mão de obra – Valores pagos  - Sinduscon
      Pedreiro = R$/h 6,93
      Servente = R$/h 5,58

Taxas de Inflação – Índices de Preços  - novembro de 2017
IGP–M (FGV) =  0,52%  / acumulado 12 meses   -0,86%
INCC-M ( FGV)  =  0,28% / acumulado 12 meses = 4,26 %
IPCA IBGE)  =  0,28%  /  acumulado 12 meses  = 2,80%
INPC (IBGE)  =  0,18%  /  acumulado 12 meses  =  1,95%
IPC (FIPE)  =  0,28%  / acumulado 12 meses  =  2,44%

Reajuste de aluguéis (exemplo) – Anual,  corrigido por um índice de inflação escolhido pelas partes, acumulado dos últimos 12 meses. 
Ex: Aluguel R$ 200,00(12º. mês nov.) + 4,26% (INCC-M) = Novo valor (dez) = R$ 208,52

 

Rendimentos da Caderneta de Poupança – dezembro.

22, 23, 24 e 25  = 0,427%

         
Taxa Selic = 7,0 % a.a.      Taxa de Juro de Longo Prazo (TJLP) = 7,0% a.a.


Salvo erros de grafia.

Por farrapo.rs

Farrapo